quinta-feira, 12 de julho de 2012

PIB recua 0,02% em maio. Economia entra em retração. Governo não sabe como reagir e delira.

 A economia brasileira está em retração, poque ela recuou em maio, após registrar alta em abril. 

. No mês, o recuo foi de 0,02%, segundo o IBC-BR, indicador criado pelo BC para antecipar a tendência do PIB, divulgado nesta quinta-feira.

. O indicador cresceu 0,22% em abril e registrou recuo no mês de março (-0,61%), alta de 0,56% em fevereiro e resultado de -0,38% em janeiro. 

. No ano, a economia registra crescimento de 0,85% quando comparada com o mesmo período de 2011.

. Só o governo ainda acredita em números parecidos com 3% e até 4% para o avanço do PIB deste ano, porque no mercado ninguém mais aposta sequer em 2%, mas não seria surpresa se a taxa chegar a algo abaixo de zero, o que caracterizaria recessão igual a de 2009.

. No ano passado, o PIB cresceu 2,7%.

. O governo já nem quer mais discutir 2012, preferindo apostar suas fichas (propaganda) em 2013, ano em que a economia poderia crescer até 4% a 4,5%.

. Este número não resiste a qualquer exame.

. Quem leu o artigo do industrial gaúcho Rosnei Alves da Silva nesta página, sabe que o acabou o modelo de estímulo ao consumo como forma de manter aquecida a economia. Aliás, a Carta de Conjuntura da FEE, divulgada esta semana.

. O governo reluta em reconhecer seus equívocos e tratar de fazer o dever de casa (a Carta de Conjuntura dá a receita correta).

. A presidente Dilma Rousseff, aliás, delirando sobre os números revelados nesta quinta, ousou cometer esta declaração doidivanas, ao minimizar o fraco desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) . Dilma disse:
- Uma grande nação deve ser medida por aquilo que faz a uma criança e a um adolescente. Não é o Produto Interno Bruto, mas a capacidade do país, do governo e da sociedade de proteger o que é o seu presente e o seu futuro.

. Ou seja, Dilma Rousseff, Lula e o PT, jogam tudo para o futuro. Caberá aos adolescentes e às crianças a solução da queda do PIB.


- O leitor que examinar o discurso de Dilma de trás para diante, não perderá o sentido do que ela disse, porque a presidente não disse coisa com coisa.

5 comentários:

Anônimo disse...

Considerando a forma com que o governo petista trata a educação, não sei se a comparação feita por Dilma ajuda ou piora a situação. Não é de hoje que este governo vive de mentiras. O problema (pra eles) é que o estoque das mesmas está acabando...

Mordaz disse...

Disse sim, que não sabe mais o que fazer para a fantasia voltar. Justamente a turma que não conseguiu melhorar as escolas públicas e precisou criar cotas para tudo. O futuro será negro com este descaso educacional.

Anônimo disse...

Este discurso é coerente com a capacidade da falsa gerentona. Não é por acaso que o malandro-vigarista escolheu-a para sucede-lo.

Anônimo disse...

Mas a propaganda governamental continua a todo vapor. tudo para enganar o povo. Propaganda enganosa tem que ser proibida e o seu autor responsabilizado.
Pior ainda que estamos em época(ano) de eleição.

Luiz Vargas disse...

"Não é o Produto Interno Bruto (PIB) que faz a grandeza da nação e sim o que ela faz por suas crianças e adolescentes. “Uma grande nação tem que ser medida por aquilo que faz a suas crianças e adolescentes. Não é o Produto Interno Bruto, é a capacidade do país, do governo e da sociedade de proteger o que é o seu presente e o seu futuro, que são suas crianças e adolescentes”.

E é formada em Ciências Econômicas. Imagina se não fosse. Parece que o espírito de Lulla baixou na gerentona e quer moldar a realidade a abstração de seus discursos eivados de falácias.
O que sobrará para as atuais crianças e adolescentes deste país será pagar a imensa conta da roubalheira e corrupção de se esparramou por este país como uma metástase cancerígena e as fará trabalharem continuamente por mais de 70 anos e para se aposentarem lá pelos 95 anos, ou quem sabem morrerem antes para não causarem mais "prejuízos" para a previdência social.
E viva o país dos PeTralha$! País onde a falta de princípios e de caráter faz as mentiras e a safadeza se tornarem qualidades institucionais.