Acordo ortográfico da língua portuguesa só valerá em 2016

O Acordo Ortográfico que unificará a língua portuguesa, e que deveria entrar em vigor no próximo dia 1°, só será adotado pelo Brasil a partir de janeiro de 2016. O Diário Oficial da União desta sexta-feira publicou o Decreto 7.875, assinado pela presidente Dilma Rousseff, que amplia o prazo de transição à nova norma até 31 de dezembro de 2015. Até lá, as regras antigas de ortografia coexistirão com as novas. As duas, por exemplo, serão consideradas corretas em provas escolares e no vestibular.

O novo prazo foi definido durante reunião de um grupo interministerial formado por representantes dos ministérios das Relações Exteriores, da Educação e da Casa Civil, que decidiu adiar a introdução oficial do acordo por três anos, ajustando-se ao prazo de sua implantação por Portugal.

- Entre os oito países que assinaram o Acordo Ortográfico, em 2008, o Brasil foi o que mais avançou na aplicação das novas regras, que suprimiram os tremas, eliminaram acentos e modificaram a utilização do hífen. Mas, embora livros, jornais e material didático já sejam impressos conforme a nova ortografia, o governo brasileiro entende que professores e outros profissionais ainda precisam de um prazo maior de adaptação

3 comentários:

Anônimo disse...

li em algum lugar que esse acordo foi imposto por pressão de Portugal...

ué, o Brasil potencia dos petistas deixou-se pressionar por aquele pedaço minusculo de terra espremido entre a Espanha e o Oceano Atlântico e que esta literalmente falido?

Clóvis disse...

Será, Políbio, que os outros países da língua portuguesa, eliminarão os adjetivos comum de dois, conforme Lei sancionada pela nossa PresidANTA????????? Ou prosseguirão aquilo que, normalmente se aplica em tais casos, ou nseja, o uso do adjetivo comum?

Anônimo disse...

no minimo deve ter sido adiado para que quem ja faturou horrores com a impressão de novos livros, possa faturar um pouco mais...

esse acordo ortográfico tem o mesmo cheiro daquela obrigatoriedade do kit de emergência nos automóveis, que consistia de uma tesoura, um rolo de esparadrapo e alguns band-aids...

teve gente que faturou muito com essa papagaiada do governo da epoca...