quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Artigo, Milton Pires - A má saúde pública e as grandes mentiras do governo sobre o tratamento dos sobreviventes

* Milton Pires, médico intensivisita, Porto Alegre

Em 1967 a Guerra do Vietnam envolvia um contingente cada vez maior de soldados americanos. A necessidade de atendimento aos feridos graves, entre eles as vítimas de queimadura e intoxicação, demandavam recursos materiais e humanos cada vez mais complexos. Os EUA construíram, na cidade litorânea de Da Nang, um hospital militar com o objetivo de atender suas tropas. Nesta época não existia propriamente a especialidade hoje conhecida como Terapia Intensiva. Foi com espanto que os médicos militares começaram a atender um número cada vez maior de pacientes vítimas de intoxicação em função do chamado “agente laranja” e outras substâncias químicas utilizadas para desfolhamento de florestas e localização dos esconderijos inimigos. As pessoas apresentavam como quadro clínico uma síndrome que envolvia, entre outros sinais e sintomas, acúmulo de líquidos nos pulmões e diminuição da capacidade de oxigenação do sangue. Essa nova doença ficou conhecida como “Pulmão de Da Nang” e hoje, nós intensivistas, a chamamos de SARA – Síndrome de Angústia Respiratória do Adulto.Fiz esta breve introdução para dizer que é isto que pode acontecer com os sobreviventes do incêndio de Santa Maria. Mais; gostaria que ficasse muito claro a todos que este tipo de “coisa” não pode ser atendido (numa situação que envolve um número de pacientes tão grandes) com segurança em nenhuma capital brasileira. Isto ocorre porque simplesmente não há unidades de terapia intensiva em número suficiente nem respiradores artificiais para atender tanta gente.Em meio a tanto desespero não há um só político ou autoridade da saúde com honestidade suficiente para dizer aquilo que escrevi acima. Há pelo menos quatro décadas, assistimos gerações e mais gerações de secretários e ministros da saúde insistindo na ideia de medicina comunitária e prevenção. Pois bem, pergunto agora: o que nós, médicos intensivistas, devemos fazer com as pessoas que sobreviveram ao incêndio de Santa Maria? Encaminhá-las para postos de saúde? Não se constrói um hospital público em Porto Alegre desde 1970! Pelo contrário; vários foram à falência e fecharam! Que o Brasil inteiro saiba que é MENTIRA a afirmação das autoridades de que Porto Alegre tem leitos de UTI suficientes para atender toda essa gente! A secretaria estadual da saúde pode, se necessário, comprar leitos na rede privada mas mesmo assim é muita sorte haver algum disponível. Com relação aos responsáveis por esta tragédia, deixo aqui a minha opinião – foi o poder público corrupto, negligente e incompetente, quem MATOU todos estes jovens! É esse tipo de gente que quer entupir o  o Brasil com médicos de Cuba e do Paraguai, que manda médicos para o Haiti e que insiste em saúde “comunitária”, que agora aparece na televisão chorando e abraçando os pais das pessoas que morreram. Termino aqui; como em toda situação de guerra, a primeira vítima de Santa Maria, assim como em Da Nang, foi a verdade – jamais esqueçam isto !

14 comentários:

Anônimo disse...

Estes palhaços petistas, irresponsáveis nos seus discursos enganadores, quando tem problemas de saúde( vide Lula), buscam os melhores hospitais particulares do país, enquanto para o povo existe o SUS, o atendimento que se melhorar estraga (no dizer do demagogo Lula). Chega de corrupção!

Anônimo disse...

O QUE VEMOS É O MINISTRO DA SAÚDE FAZENDO POLÍTICA PARTIDARIA EM SANTA MARIA.
FALANDO EM CUBA, VENEZUELA, URUGUAI. É OUTRO MONSTRO POLITIQUEIRO, TIRANDO PROVEITO DA DOR ALHEIA.

Campao disse...

Essa manifestação, feita pelo Dr. Pires, deveria ser transcrita como editorial em todos os Jornais do País. A verdade é essa, nua e crua. O resto, o que está aparecendo na Mídia e atribuido a autoridades públicas, é jogo demagógico e, a bem da verdade, uma grande "propaganda enganosa", fazendo-nos acreditar que estamos realmente com uma Saúde de Primeiro Mundo, como alguém já disse, tempos atrás.

Ricardo disse...

Texto completamente verdadeiro e que deveria se exposto em TODOS os jornais e televisões do país !!!!

Anônimo disse...

Ë a pura verdade, sou medico e sei bem como a saude publica (e privada de uma certa forma) esta deficiente. Alguem acha que 90 ou mesmo 20 leitos de UTI surgem da noite para o dia? Sem falar na provavel insuficiencia de pessoal, equipamentos e treinamento dos bombeiros. Alguem ja falou sobre a situacao dos bombeiros do RS? Ta na hora de se informar sobre isso.

Anônimo disse...

Ë a pura verdade, sou medico e sei bem como a saude publica (e privada de uma certa forma) esta deficiente. Alguem acha que 90 ou mesmo 20 leitos de UTI surgem da noite para o dia? Sem falar na provavel insuficiencia de pessoal, equipamentos e treinamento dos bombeiros. Alguem ja falou sobre a situacao dos bombeiros do RS? Ta na hora de se informar sobre isso.

Anônimo disse...


Outro elemento comentarista de resultado. Acho que o engajamento das equipes médicas é uma farsa, os diversos médicos que multiplicas suas horas de serviço para salvas as pessoas e auxiliar as familias.

Certo ele errado a imprensa testemunha do engajamento dos ´médicos e enfermeiros.

Mordaz disse...

Para aparecer 80 leitos, outros deixaram de ter tido acesso a eles. Leitos que já faltavam antes.

sylvia disse...

Enquanto o povo - incluindo alguns médicos - não procurarem esclarecer-se a respeito de 'o que compete a quem', continuará a bater em porta errada e o verdadeiro poder imediatamente responsável continuará incólume...

Anônimo disse...

Só falta jogarem a culpa no FHC também...

sylvia saul disse...

Pergunto: somente os comentários a favor da matéria são postados??

Anônimo disse...

O que políticos fazem o tempo todo : falam das próximas eleições, como melhorar remuneração e viajar para cima e para baixo o tempo todo e sempre como o mesmo papo. Já cansei. Políticos só servem para esvaziar os cofres públicos e envergonhar a população.Laila

Anônimo disse...

Artigo totalmente equivocado sobre o sistema de saúde brasileiro. Devemos investir sim em UTI, no entanto, precisamos atua de forma sistemática e comprometida na prevenção da doença e promoção da saúde.

A falta de leitos de UTI no RS se dá, simplesmente, porque o que aconteceu em Santa Maria é uma tragédia isolada.

Devemos é lutar para a melhoria dos níveis de atenção a saúde no Brasil, principalmente a atenção primária, no entanto sem esquecer dos serviços de média e alta complexidade.

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Encontrando a matéria acima no Portal Militar, encontrei que havia sido inserida inicialmente aqui; devido à importância das informações tomei a liberdade de transcrever o inteiro conteúdo em meu blog GRIFÃO, inclusive com a formatação original, fornecendo o link de seu endereço, deixando claro que havia sido copiado de seu blog.

As palavras desse médico são candentes e certamente honestas. Pessoas como ele, com essa integridade moral e profissional é que deveriam estar em postos ministeriais.Nossa Nação despenca barranco abaixo empurrada por mãos negligentes e corruptas.