quinta-feira, 2 de março de 2017

Artigo, Claudia Wild - Carta aberta para Daniela Mercuri de Almeida Verçosa, conhecida como Daniela Mercury

Ela exige respeito pela sua opção sexual, mas não respeita os outros.

Tomo a liberdade de endereçar-lhe a presente carta após ter tido contato com inúmeros vídeos e matérias dispostas nas redes sociais, em que a senhora, a princípio de forma gratuita e acintosa resolveu menosprezar e hostilizar a Polícia Militar do seu sempre dito amado, estado da Bahia.

(...)

Recordo-me de algum tempo atrás, ter lido em inúmeras matérias jornalísticas, onde a senhora clamava por respeito e rogava ao povo brasileiro que lhe apoiasse irrestritamente com relação às suas escolhas pessoais e políticas. Soa um tanto quanto esquisito que esta mesma pessoa em uma manifestação de grande alcance popular e de público__que é o carnaval brasileiro__, tenha atacado de forma vil e incompreensível, uma instituição como a Polícia Militar. Soa um tanto quanto contraditório, uma pessoa que exige respeito mas em contrapartida não oferece a mesma conduta.

(...)

A Bahia não merece uma conduta como essa, o povo baiano não vive apenas da folia, do carnaval e das cantorias, ele precisa da Polícia Militar e sua proteção. Um brasileiro que não respeita a sua Polícia não merece ser respeitado.
A senhora deve uma enorme satisfação ao Brasil, à Polícia Militar e ao povo baiano.

CLIQUE AQUI para ler tudo.
CLIQUE AQUI para ver o vídeo do incidente.

17 comentários:

Anônimo disse...

Maldita Lei Rouanet!

Anônimo disse...

O ocaso de uma "artista" é de dar pena. Precisa apelar para tudo para chocar o povão. Não batava só sair do armário? Ainda vou ver essa coisa virar evangélica!

Anônimo disse...

Sr. Políbio sempre tão homofóbico. Atualize-se Sr. Já vivemos no século XXI.

Anônimo disse...

Blargh...

Anônimo disse...

a brochaiada da padre chagas q nunca participou dum menage com duas minas se escandaliza e não sabe o q é bom....eheheh..no máximo participaram com dois homens eheheheheh...coxinha, é foda ehehhe

Anônimo disse...


Um lixo vestido de gente.

O público dela está se deteriorando rapidamente.

Em breve estará cantando em reveillon para presos.

Anônimo disse...

Nada contra ao amor entre os de mesmo sexo, apenas podemos dizer que é IMPRODUTIVO, ESTÉRIL para a humanidade.

Luiz Ignácio disse...

Esta mulherzinha caquética quando assumiu-se como machorra deu a entender que estava lúcida; agora compreendo que assumiu porque é uma deficiente mental e se dizer lésbica é uma forma de dizer que não tem caráter algum.
Se tivesse e realmente fosse lésbica de verdade, manteria sua vida pessoal resguardada(já que à ninguém interessa) e não agiria com tanta estupidez e canalhice.
Ou é louca ou é bêbada ou é drogada; quiçá tudo junto.

Anônimo disse...

Vai dá cu imbecil

Anônimo disse...

Comunista e bicha

Anônimo disse...

Tem uns idiotizados que acham que este comportamento desta pseudo "artista" é um sinal de modernidade, ocorre que é tão somente de uma mediocre que chegando ao limiar da vida e carreira, e ainda não tendo nenhuma expressão duradoura de dotes para tal, procura se manter em evidencia a custa de modismos como este comportamento anomalo.

visionst3 disse...

a rainho do axéca music?

Anônimo disse...

Seria sindrome de velhinha descolada? Parece que a rita lee também teve uma atitude dessas em Alagoas ou Sergipe num tempo atrás.Esses jovens rebeldes sem causa não se emendam, é muito bom um chazinho de camomila nessa idade.

Anônimo disse...

Repito palavras de alguém acima:
'Sr. Políbio sempre tão homofóbico. Atualize-se Sr. Já vivemos no século XXI.'

Anônimo disse...

Pois é... hoje em dia ensinam nas escolas que homem não nasce homem, mulher não nasce mulher, mas viado nasce viado...

Anônimo disse...

doeu né viadinho ehehe vestiu o chapéu kkkk

Anônimo disse...

Poxa, achei que o post era sobre respeito........
Dujo e mau lavado.