quinta-feira, 20 de abril de 2017

Aumenta a escalada dos bandidos da Lava Jato contra os juízes do Brasil.

6 comentários:

FAÇANHA FASCISTA disse...

Se os políticos são os bandidos do Brasil, então a Democracia é uma atividade criminosa!!!Se até o Onix e a Ieda estão implicados na corrupção, fica sendo isso mesmo!

Alberto disse...

Cidadãos de bem tem como entrar em contato com a 'classe' política por telefone, e-mail, facebook, etc para cobrar o fim do maior escândalo de corrupção de todos os tempos e não tem desculpa de feriado, de não ter tempo ou medo. É agora ou nunca acabar com essa farra!

Nelson disse...


Briga de bandidos, mais bandidos que julgam todos que usam e abusam do poder que deveria ser de todos, para todos, blindagem de grupos ou quadrilhas de todos os modos, contra qualquer viventes de sul a norte, quando ou nunca vai acabar. Desde o império até a republica.

Norton Dornelles de Castro disse...

O controle externo do judiciário , chamado agora de abuso de autoridade,não tem nada a ver com a lava jato, mesmo porque só os advogados psicoPaTas do Lulla acham que são perseguidos por Moro . O controle é voltado a juizes que se acham legisladores e se metem a tomar decisões em interpretações pessoais da CF.Promotores que movem processos sem nenhum fundamento especialmente nas área trabalhista fiscal e ecológica .
O cidadão que é perseguido por um juiz trabalhista ou na área fiscal ; se quiser se queixar tem que procurar um colega do juiz .
A democracia moderna precisa de controle externo , o judiciário brasileiro é irresponsável , a oportunidade de mudar é agora , no Brasil temos que aproveitar as janelas de oportunidades para evoluir nossa democracia capenga

Não não existe o controle externo do judiciário ele não passou no congresso de FHC FDP , nós liberais e conservadores temos que ter nossas próprias pautas , temos que deixar de ser pautados pela mídia comuna

Anônimo disse...

LUGAR DE BANDIDO É NA CADEIA, SEMPRE.!!!

Anônimo disse...

Sérgio Moro, como qualquer julgador do Judiciário, pode ignorar qualquer dispositivo de lei que for inconstitucional ou contrária ao interesse público. Basta enfrentar e executar.