Em entrevista coletiva, Lula coloca Moro no cenário do "golpe"

Em coletiva de imprensa concedida na Sede Nacional do PT, em São Paulo, no final desta manhã, o ex-presidente Lula criticou à sua maneira a sentença de condenação a nove anos e seis meses de prisão imposta pelo juiz Sérgio Moro.

Seguindo o ensinamento de Goebbels, o petista, mais uma vez, reafirmou sua inocência e a intenção de concorrer às eleições presidenciais de 2018:

“Não sei como alguém consegue escrever quase 300 páginas para não dizer nada de provas contra quem quer condenar”, afirmou, para depois cometer uma de suas sandices: “Aqueles que prepararam a mentira do golpe contra Dilma não iriam ficar de braços cruzados esperando essa gente voltar em 2018. Qual é a razão de derrubar um governo e dois anos depois deixar essas mesmas forças políticas disputarem as eleições novamente? O golpe não fecha”.

Ao fim, completou: “Eu acreditara que Moro não aceitaria a mentira do Power Point apresentada pelo Ministério Público. Quando foi aceito, entendi que era um jogo. Eles tornaram-se prisioneiros da mentira que criaram. Estão condenados a me condenar”.