Folha volta aos documentos da CIA, mas já não fala mais em execuções durante o Governo Geisel

Nesta reportagem de hoje da Folha de S. Paulo, o repórter Rubens Valente trata de modo bem diferente os papéis liberados pelo governo americano sobre o enfrentamento movido pelo governo Geisel aos inimigos armados do regime militar. Ao contrário de Matias Spektor, que na semana passada revelou termos de um memo da CIA ao secretário de Estado Henry Kissinger, nesta reportagem de Valente já não há referência ao "Centro de Inteligência do Exército", que em 1974 nem existia, mas ao "Centro de Informações do Exército". A reportagem (lei no link) não fala em "execuções", coisa que ficou explicíta no questionado memo da CIA, cujo original não foi mostrado por Spektor e pela Folha e que pode ser uma grosseira fraude.

A Folha diz, hoje, que um telegrama norte-americano reforça trecho do memorando da CIA de 1974 no qual o então diretor da agência, William Colby, disse que o general e então presidente Ernesto Geisel (1974-1979) buscaria ter o controle sobre o principal órgão de repressão do Exército, o CIE (Centro de Informações do Exército).

O telegrama foi enviado ao Departamento de Estado em 1976.

CLIQUE AQUI para ler toda a reportagem, que é muito mais esclarecedora e parece ser muito mais verdadeira do que a notícia sobre o memo da CIA, que a cada dia mais se assemelha a uma grosseira farsa midiática, política e eleitoral.